domingo, 25 de março de 2012

Arrancar você de mim

Vai doer. Eu sei que não falar de você vai me custar muito caro. Não suspirar teu nome, entalar na garganta tudo o que passamos juntos, não falar. Calar é o que eu menos aprendi a fazer, apesar de tudo. Isso é até estranho, mas desculpe se sinto a  felicidade de amar você, e de tê-lo todos os dias, mesmo que na lembrança, mesmo que seja apenas seu cheiro que ficou no travesseiro. Calar os passeios de mãos dadas, os beijos, os sorrisos. Respirar em silêncio, apenas inspirar ruidosamente. Vai doer muito não falar de você. Como eu queria conseguir me acostumar, mas aprendi que falar de mim sem falar de você, é um exercício angustiante, e precisarei te arrancar aos poucos de mim, da minha pele, da minha boca, apenas te deixar dentro, lá no coração, na mente, sem compartilhar. Não sei amar calada... e não sei mais o que dizer, como expressar, como gritar para afugentar esse nó na garganta. Mas te prometo que tentarei. Arrancar você de mim.