segunda-feira, 16 de maio de 2011

Eu-menina, crisálida; eu-mulher, borboleta

Ainda menina? Eu sou, e sonhadora. Percebi isso há pouco tempo, pois eu já não achava mais em mim os sonhos, os planos, a alegria. O que me faz crer que estou perto do que me faz bem, só não sei como resolver os impasses, pois como digo, sou menina ainda, mas dando espaço para a mulher que me quer escapar e se mostrar. Vivo com duas, ou mais mulheres em mim, e bem sei que a mulher está saindo da pele da menina, como que um ser novo que nasce e sai do casulo. Uma borboleta. Eu menina, crisálida; eu mulher, borboleta.

 c Marcelle Silva b