domingo, 13 de março de 2011

Ser menos do que se pensa

Sou um pouco de tudo,
o que é nada.
Me resguardo, porém amargo
de um nada de um ser.

No outono no Brasil as folhas não caem,
mas caem no outono as folhas do Brasil.
A primavera não é uma mera
estação das flores,
mas prima o sentimento que
um dia se esvaiu.

O ser que te mostro não demonstra
meus pesadelos mais sinceros...
E espero, a água que escorre,
que molha e queima,
sinceros devaneios.

O que esperar de alguém que não
se tem o que esperar?
E esperar menos, do que menos de mim?
Ai de ti, que espera...
Ai de mim, que não sou!

Hei de ser a última dádiva do
sonho que se partiu?
Hei de guardar teu carinho, teu
futuro sonho que se esvaiu?
Ele se esvaiu?Ou eu que temi?

(setembro de 2010)

Marcelle Silva