sábado, 6 de novembro de 2010

Pain with love


E eu, que hoje, digo hoje mesmo, vejo no mar que tanto amo e admiro, um prenúncio de dor... o amor hoje está me fazendo mal. Logo eu, que sou e me faço ser toda amor. Hoje imagino o mar, lindo e pleno, e o invejo. O olhar está para ele, ou para a praia, ou outro alguém: não sei. Mas hoje o sol me brilha dolorido, e me desato de todo o amor que guardo no peito. Me desfaço, mesmo que por segundos ou num mundo feito de algodão doce, macio e colorido, cor-de-rosa...hoje estou no preto-e-branco, aliás, gosto tanto dessa combinação! Não quero corrompê-la com meus lamúrios, com o desejo de falta de amor dentro de mim... queria que ele me deixasse; o mar, o doce, o amor, o sol... e não queria ter de dizer: TE AMO MAR, TE AMO DOCE, TE AMO AMOR, TE AMO SOL... porque hoje não quero isso para mim. Eu que sou feita de amor, e gosto tanto disso. Só hoje, não quero dizer TE AMO. Só hoje.

Marcelle Silva