sábado, 6 de novembro de 2010

...²

Hoje, pensando em você, preferi que você não me viesse à cabeça. Pois sinto tristeza ao perceber que, além dos quilômetros que nos separam, entre nós ainda existem algumas lacunas, algumas palavras não ditas, alguns sentimentos, que embora freqüentes e conhecidos, voltam a perturbar. Pensando no coração dolorido agora, lembrei da época na qual minhas lágrimas haviam secado, mas secado pela ausência de dor, pela completude do nosso amor. Hoje elas me vêem, e me mostram que aquela foi apenas mais uma fase, boa e efêmera, mas uma fase, e que talvez demore a voltar. Sei que as palavras não ditas ou que aqui tento expressar, podem ser mal interpretadas, como sempre... mas não deixo de tentar suavizar a tristeza do meu coração, que você deveria saber, depois de tanto tempo, que só suaviza quando desabafo, seja aos seus ouvidos ou escrevendo. Mas aos seus ouvidos não adiantam mais, por isso prefiro escrever, pois sei que não lerá minhas palavras. O que hoje sei, e já o sabia, é que quero um futuro sólido e feliz, e penso no amanhã. Creio que não sou a única pessoa no mundo que o faça, pois penso e me preocupo. Não mais sei o que sinto agora: saudades, ciúmes, medo, decepção... não sei. Mas estou aqui, e como sempre, passível do amor.

Marcelle Silva