quinta-feira, 6 de março de 2014

Apenas dor.

Fico muito triste de só procurar meu blog quando estou triste. Já falei isso aqui várias vezes. E por que utilizar um meio público para externar uma decepção privada, um fato que de tão privado é sórdido, imundo? Sabe aquele momento em que você simplesmente quer se deixar doer e fazer a dor passar, tudo ao mesmo tempo? Sabe quando você acredita no olho de uma pessoa, olhando para você e falando que é verdadeira com você, aliás, sendo alguma coisa com você, fingindo preocupação sem se preocupar, fingindo gostar sem gostar, simplesmente deixando que toda e qualquer pessoa te ofenda, te julgue, sem te defender, sem ao menos levantar uma palavra em seu favor, apenas deixar? Sabe? Se não sabe, saiba que é um dos piores sentimentos do mundo. Não sei o que mais me dói: se são as palavras, se são os silêncios, se são as pessoas, se são os mais de quinze anos acreditando. Sinto vontade de gritar, de bater, de berrar aos quatro cantos do mundo: eu que não quero mais você na minha vida, não preciso de você, não preciso de mais pessoas que não torcem por mim, não preciso da sua falsidade, da sua paciência forjada, da sua falta de consideração e nem de nada. Sinto como se meu peito tivesse prestes a explodir, ou implodir...sinto como se um buraco se abrisse no chão e no coração... sinto como se você tivesse agonizando na minha frente. Porque é isso que está acontecendo, você está morrendo para mim.