sábado, 15 de setembro de 2012

Sobre sentir falta de si mesma

Engraçado como acontece muito de eu reler algumas coisas que escrevi, e sinto como eu não fosse eu, ou como se fosse uma Marcelle mais ou menos preparada do que a atual. Estranho...é que ainda agora reencontrei uma parte de mim que por alguns meses viveu clandestinamente sob o pseudônimo "Evinha", e lamento amargamente algumas coisas que sucederam desde que eu decidi parar de ser a Evinha. Inventei de excluir muitas das postagens, textos que eu escrevi numa fase tão produtiva, tão bonita, tão cheia de libido, de desejo de viver, de prazer, de amor...e deixei guardados os textos em algum lugar do meu pc, e quando ele pifou a primeira vez, eu os perdi todos. Foi um pouco traumático perder essas lembranças, como se eu tivesse perdido uma das mais importantes fases da minha vida, e nesses textos eu realmente estava sendo outra pessoa, uma mais aberta, mais sem pudor, mais adulta, mais atrevida, mais tudo o que eu agora enquanto escrevo isso não sou. Poxa, como eu sinto falta da energia do que eu escrevia naquele blog, das alegrias que eu tive, das descobertas que foram muitas. Curiosamente, falei sobre aquele blog em minha monografia, e lembro que quando eu e o Gilmax tivemos a ideia de criar um "blog de casal", eu nem sonhava em pesquisar sobre sadomasoquismo, ou sobre blogs. Eu era apenas alguém ansiando por mais um desafio, de tentar escrever com a ajuda dele...não foi o que acabou acontecendo, embora ele tenha escrito umas duas vezes que valeram pela existência do blog: ele era o meu Adão. rsrs Nossa, parece outra vida, falando assim...que saudade! :(