quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Não, eu não vou embora

Eu quase fui embora. Mas eu não sei o que deu em mim que eu não consigo. E acho que não quero ir. Estou falando do blog, é claro, de onde mais eu iria embora? rsrs Bem, acho que pouquíssimos de vocês que me lêem de vez em quando, sabem que eu tenho um novo blog, o meu novo xodózinho, o Do verbo ao Desatino. Criei o blog, e tive ajuda da minha amiga linda e loira, Helena Lopez, e essa ai muita gente conhece, não é verdade?! Pois então... ela me ajudou com o acabamento final do blog. Eu sou chegada demaaais a um desatino, então o que veio? Mais um desatino, como podem perceber! rsrs Não lembro se já escrevi aqui sobre esse novo blog, mas se já, acho que mesmo que eu fale de novo, o sentimento não é o mesmo. Já tive muitos blogs, nesses dois anos de blogosfera, e agora só tenho dois, e sou co-autora em outro, e estou muito feliz por isso porque a Helena já me convidou para escrever com ela em outro blog, já tive o prazer de escrever um poema e um texto-conversa com ela pra outros blogs, e acho que no mínimo isso significa que eu tenho um pouco de capacidade para isso, sei lá! Não sou convencida, mas acho que uma coisa positiva isso significa. Assim como minha vida de blogueira me ajudou muito em todos os aspectos, não canso de dizer isso. Mas o fato é que criei o outro blog com o intuito de escrever mais crônicas, mas descobri que não sei escrever isso. Eu não sou capaz disso, mas estou tentando. Acho complicado manter dois blogs tão parecidos, e na hora de querer postar, não saber onde postar! Mas aos poucos vou me assentando. Só sei que é isso que eu quero, pelo menos nos últimos dias, já que sou tão intensa quando eu quero, e fugaz. Não sei, só sei que agora, enquanto estou escrevendo esse texto estou me sentindo feliz, mesmo com os problemas todos com que convivo, e com o coração meio triste, mas estou feliz. E tenho medo dessa sensação que chamam de "felicidade"... já disse aqui que não acredito nela, lembram? Não? Pois é, não acredito. Enfim... e já disse que eu não gosto do Natal? Nem de Papai Noel? Por que? Não sei explicar direito, mas não gosto, acho que desde uma certa idade... Enfim, como sempre, eu escrevo, escrevo e fujo do assunto, e não sei como terminar o texto... acontece com vocês? Comigo quase sempre! Pois bem, agora é a hora. E para aqueles que se importam: NÃO, EU NÃO VOU EMBORA! Era esse o objetivo do texto.

=*