terça-feira, 21 de junho de 2011

A vida é um eterno discurso no qual devemos nos perder!

Acho que no fim das contas, sempre caminhamos em frente, porque a vida é como uma grande e tortuosa estrada; por hora nos perdemos, nos encontramos com alguém que nos modifica, ou pensamos que nos desviamos do percurso. Mas o caminho continua, por mais que pareça que ele parou, que a estrada foi interditada ou que algum abismo se fez bem no meio da passagem. No final, mas não finalmente, isso nunca acaba, e ainda acredito nisso, porque temos de nos perder para nos achar, para termos a alegria de olhar no espelho da alma e comprovarmos que apesar de tudo, continuamos sendo o que sempre fomos, ou que ainda temos algo de raro e bom, mesmo que nossos atos digam o contrário. Temos de nos perder nesse discurso, nas ideias que se materializam, na sensibilidade que emana de um "simples" entardecer, da noite que surge imperiosa. O discurso é isso: como a vida e como um entardecer eterno, no qual esperamos ansiosos o que está por vir.


c Marcelle Silva b