quinta-feira, 29 de julho de 2010

"...lembra-te que eu comi do fruto proibido e no entanto não fui fulminada pela orgia de ser"



Mas o que é esse fruto? O que é proibido?Quem proibiu? Eu tenho a liberdade de ser, e meu corpo é livre para ser livre. Me sinto liberta, porém em mim há amarras que me prendem ao pudor. Mas sou eu? Eu tenho pudor? Ainda...mas acho que não passa de convenção. Mas o importante é que me sinto nova.