sábado, 31 de julho de 2010

Menino acuado



Ele amanhaceu junto com o sol. Fechou novamente os olhos com força para desvanecer os pensamentos, desvanecer o que sentia e via. Abriu os olhos e viu: era real. Minha vida acabou... Ele não era aquilo que estavam pintando. Ele errou, e errou tragicamente. Mas errou. Quem não erra? Mas matou. E morreu junto com o garoto.Mas ele não é isso que aparece no espelho... Que espelho? Temos que manter qualquer tipo de objeto cortante longe dele. Viver: agora, como será?

A Yuri Silveira.