quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Esperar


Esperar, esperar...condição humana. Você não sente a humanização contida na espera? Mas é isso mesmo: esperar é humano, assim como errar, assim como amar. Mas há os que não amam; há os que têm a ousadia de desejar o perfeito: perfeccionistas! O que não existe... a verdade é que custamos tanto a aceitar, e quando vemos a realidade nua e crua (juro que mais nua do que crua), mais uma vez esperamos: aceitar, escolher, entender, ensinar, aprender... somos isso mesmo, mas não é só. Somos mais. Ou não? Cada um tem o que planta,e ponto. Não podemos mesmo fugir do lugar-comum. Sonhamos, ah como sonhamos, e desejamos ter, e ser, e parecer...a ânsia da valoração. Mas que valor é esse? Quem ou o que demarca o ponto limite do certo e do errado? Devaneios, divagações... acontece sem que tenhamos controle. É isso, meu Deus: não tenho controle! Lá se foi a espera...e ponto.



Por falar em esperar...esperei um tempão pra lembrar de procurar (e de achar, consequentemente!!!) uma música do Lenine que eu particularmente acho divina. Eis a película: