sábado, 6 de agosto de 2011

Nem todo silêncio é mudo

Nem todo silêncio é mudo, assim como nem toda lágrima é de tristeza; nem todo escudo protege, e nem todo amor é primavera. Você me viu inteira, sorriso no rosto e olhos brilhantes, mas eu estava te medindo, assim como eu podia medir meu amor. Eu podia, embora ele me escapasse. Podia assim como a gente tenta medir a distância do mar, como a gente tenta ir além, mas o além é finito... Mas meu coração te pedia pra ficar, no momento em que você pensou que eu estivesse pronta. Não, eu não estava. Mas eu queria ter te falado as coisas que eu calei. Mas não entendo. Porque meu coração gritava rouco no peito, e você não ouviu. Nem eu ouvi. Mas eu sabia que a qualquer momento eu podia me ouvir te dizer, mas eu não disse. Nem todo silêncio é mudo, porque ao mesmo tempo que eu calei, eu te disse o mundo.

c Marcelle Silva b