domingo, 13 de março de 2011

Do desejo


Tenho um desejo interminável, insaciável, e intenso. Desejo de vida vivida, desejo de carne quente e úmida, viva e tanto. Desejo de boca, de pele na pele, energias trocadas. Viver é desejo, é fundamento do querer, mesmo que já se tenha o que se quer, o querido, já tido. Tenho isso em mim, e desejo que nunca acabe. Do desejo vivo das coisas, todas as coisas, sou assim. E há de vir, há de ser, há de estar. Sendo desejo, a quem desejar. Eu desejo tudo, e a quem me desejar. 

Marcelle Silva