quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Canção Excêntrica

Canção Excêntrica
Ando à procura de espaço
para o desenho da vida.
Em números me embaraço
e perco sempre a medida.
Se penso encontrar saída,
em vez de abrir um compasso,
protejo-me num abraço
e gero uma despedida.

Se volto sobre meu passo,
é distância perdida.

Meu coração, coisa de aço,
começa a achar um cansaço
esta procura de espaço
para o desenho da vida.
Já por exausta e descrida
não me animo a um breve traço:
- saudosa do que não faço,
- do que faço, arrependida.
Cecília Meireles



E eu, que me procuro no espaço que me envolve,
sinto-me moldada, sendo transformada em algo que não sei;
tudo me é tão novo que me surpreendo,
vendo o que já não é novidade,
enxergo o além do concreto, do imediato.
Se sou louca, não sei se sou...
mas gosto do epíteto,
aprecio a falta de compreensão diante de mim:
talvez eu transcenda
o que eu achava que eu era.
Marcelle Silva