quinta-feira, 24 de junho de 2010

Mais uma de amor...

Ah, doce delírio de amor
Salgado, amargo, mas doce sabor
Permanece, deixa ficar
Na minha boca, me faz calar...

Sufoca meu grito de amor
Me toca assim, nem preciso dizer
Me toma em seus braços, me faz viver

Teu corpo fascina minha pressa de ti
E as lágrimas que caem, não te preocupes
É tanto amor, tanta emoção
Que não cabe em mim, transborda...



Ao homem mais maravilhoso, amigo e amado.