quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Ainda não estou pronta...

Querido blog,

aqui quem fala sou eu, uma menos eu, menos eu da última vez em que postei alguma coisa aqui. Hoje me sinto cansada, mas ao mesmo tempo não. Meu corpo pesa, a cabeça também, e ao mesmo tempo não porque mesmo que seja 3 da manhã e eu realmente esteja cansada - o dia foi tão puxado que você nem imagina - não queria ter de dormir. 

Hoje eu sou esposa, sou mãe -de um cachorrinho chamado Michel -, sou uma amiga de poucos amigos - e agradeço por isso, em decorrência das péssimas companhias que antes me circundavam -, continuo com a mesma inconstância de sempre - ah, isso continua -, aquelas angústias diminuíram e hoje dão lugar à angustias concretas, angústias adultizadas - conta pra pagar, grana pouca, ap não saiu ainda, inflação - , e algumas outras coisas que já não me machucam como antes.

E isso é bom. É bom porque todo dia, nos últimos dias, tenho acordado me sentindo grata, apesar de. São muitos problemas e eu, na maioria das vezes, não sei lidar e geralmente fujo, de alguma forma -aprendi a criar linhas de fuga, nem sempre sadias  -, fujo porque sou covarde demais, ou sensível demais, ou apenas não sei. Eu não sei de muita coisa e prefiro não saber. Minha cabeça e meus olhos não sabem de muita coisa que meu coração sabe, sabe? Não sei explicar, mas a cada dia que passa meu coração sabe das coisas. Ou melhor, esse lado que eu acho que é meio sensitivo, esse lado me assustou um dia desses. Pois é, eu sinto. E porque eu sinto, eu sei. 

E também não sei de muitas coisas, como por exemplo, o que vai ser de mim, o que vai ser de nós. Tenho medo, cada dia mais, mas não mais como antes. E tenho medo de certas coisas com mais intensidade. Eu tenho tanta coisa e perdi muita coisa também, Não estou reclamando, mas refletindo sobre. Perdi pessoas - que não faço questão de trazer de volta pra minha vida! Sorry mas não sou mais trouxa! - perdi coisas, perdi sentimentos, necessidades. E ganhei certezas. Isso que vale, né? Vale sim.

E sabe do que mais? Estava conversando com uma amiga sobre o quanto é tudo muito difícil, o quanto estou cansada e aí lembrei de você - sorry de novo -, que tanto me acolheu como ninguém o fez. Daí, decidi que começaria a escrever sobre alguma coisa que me viesse à cabeça e que não colocaria um título antes de terminar. E aí, agora, escrevendo e pensando sobre isso, ainda não me veio à cabeça. Não! Espera! Ainda não estou pronta!